Como lidar com a falta de motivação, estudando anos para medicina?


#1

Gente, não sei se isso está acontecendo com vocês, mas tem 6 anos que estou prestando vestibular e nunca tinha me sentido tão desmotivada. Não estou conseguindo estudar mais do que 6 horas por dia e a qualidade do estudo está uma porcaria. O pior é que parece que está tudo sem graça, tudo mecânico. Bate uma ansiedade e infelicidade… Está difícil lidar. Como vocês têm lidado com esse processo de vestibular? Vocês têm alguma dica pra amenizar o peso ? Também aceito dicas de estudo!


#2

Oi Letícia,

Este é meu quarto ano fazendo o vestibular, então entendo muito bem. Pra mim o que ajuda ajuda é ver a realização e a felicidade dos médicos que eu conheço. Isso me ajuda a manter focada.

Vou fazer textão haha
Na minha família, todo mundo é de classe média, dinheiro acaba antes do fim do mês, no supermercado temos que ficar somando quanto vai dar, a escola nunca pode ser a melhor, etc.
A exceção é minha tia que é médica, dermatologista, ela tem uma clínica grande, faz diversos tratamentos. A diferença dela para meus outros tios e tias é que ela é extremamente feliz na profissão, muito mesmo, ama o que faz, e ainda ganha muuuuito, viaja com os filhos e marido pra fora (enquanto o resto da família não consegue viajar nem pra outro estado). E ela se realiza muito na profissão, vê a diferença que faz na vida dos pacientes. Imagino que outra área da medicina faria ainda mais diferença que dermato.

Bom, essa tia médica fez 4 anos de cursinho, ou seja, vestibular 5 vezes! Ema me contou que os irmãos e primos riram dela, por passar tanto tempo estudando. Os outros fizeram só um ano de cursinho e logo desistiram, alguns desistiram de fazer faculdade, uma fez enfermagem mas queria mesmo ser médica, outro fez economia porque não conseguia passar em direto. Resumo de tudo, os que desistiram hoje estão mal financeiramente e infelizes. Com certeza dariam TUDO pra voltar no tempo e fazer mais uns anos de cursinho junto com minha tia que hoje tem que ajudar financeiramente todo mundo.
Meu tio economista agora está tentando fazer concurso, ele me disse que concurso é muito mais difícil e concorrido que o vestibular, então o melhor é ficar mais um pouco. Quando tiver uns 35 anos, um ano a mais ou a menos estudando pro vestibular não vai fazer diferença.
E isso é verdade, conheço uma dentista que se arrependeu de ter feito odonto (por não ter passado em medicina) e agora está fazendo cursinho pra med, com 29 anos.

É difícil mesmo, mas vale a pena ficar um pouco mais. Pensa que daqui a uns anos, ter passado um ano a mais ou a menos não vai fazer diferença. Qual especialidade você vai querer fazer?
Eu por exemplo quero ser pediatra, quero cuidar de bebês, e aí fico super imaginando como vai ser. Acho que pode ser legal você fazer isso também.


#3

Olá Letícia, como vai ? Se possível, você podia nos dar mais detalhes sobre sua trajetória, de forma que fique mais fácil de responder. Por exemplo: Você faz cursinho ou estuda sozinha ? Almeja uma faculdade pública em âmbito federal, estadual ou nacional (Usp,Unesp, etc.) ?
Estuda e trabalha ou apenas estuda ? Esse tipo de informação ajuda a comunidade a modelar respostas mais específicas. Enfim, vamos ao que interessa…

- TEMPO E PERSPECTIVA

Primeiramente, vamos DESCONSTRUIR esse conceito de " Eu tento há 2,3,5 ou 10 anos", como se tivesse um prazo para alcançar os nossos objetivos. Ficar pensando em quanto tempo já estudou no passado, não vai acelerar seu processo de aprovação, só lhe deixar mais ansiosa. Tudo é uma questão de perspectiva… Uma vez sugeriram a Thomas Edison, depois de 700 tentativas, que ele desistisse de inventar a lâmpada já que eles ainda não tinham avançado nem um passo. Ele respondeu " Nem um passo ? Avançamos 700 passos rumo ao sucesso. Agora sabemos 700 formas de como não fazer uma lâmpada ". Ou seja, a essa altura você já deve saber o que não dá certo para você. Quais matérias você tem mais dificuldades, quais técnicas de estudo melhor se adaptam, essas coisas. Porém, ás vezes, pode ser hora de MELHORAR SUAS ESTRATÉGIAS DE ESTUDO…
albert_einstein_loucura_e_querer_resultados_diferentes_lrnez99

  • FASE DO VESTIBULAR

Como você ressaltou, é difícil lidar com esse processo. E nada resume melhor essa fase do que essa palavra. PROCESSO. Processo de mudança e de amadurecimento. Essa parte da vida é o momento que você aprende a ter auto-disciplina e objetivos, e aprende a desenvolver estratégias para atingir esses objetivos. Esse é o momento que você desenvolve valores que você vai levar para a vida toda. E como você tomou a atitude de criar esse tópico, quer dizer que ainda ainda está tentando - e em breve vai conseguir -, o que significa que você já desenvolveu uma virtude: PERSISTÊNCIA. Uma narrativa mitológica grega muito conhecida conta que, certa vez Zeus criou uma mulher para castigar os homens e deu a ela uma caixa. Essa mulher iria se casar com o Titã Epimeteu, que já desconfiava das segundas intenções de Zeus. Então Epimeteu pediu a ela que nunca abrisse essa caixa. Só que devido a curiosidade, ela abriu-a e acabou libertando todos os males da humanidade: doenças, guerras, desespero e etc. Porém, no fundo da caixa restou apenas uma coisa: A ESPERANÇA. Essa lenda é conhecida com " A caixa de Pandora" e é responsável pela frase famosa " A esperança é a última que fica". E é isso que você precisa ter até o final. É difícil pra todo mundo, pode ter certeza que tem milhares na mesma situação que você que almejam um futuro com estabilidade financeira e realização pessoal. Todo mundo sente vontade de desistir. Acorda em dias que a motivação é zero. Pressão dos familiares. Pressão do amigos que já estão na faculdade. E esse é o preço que você tem que pagar se quer realmente Medicina. A última coisa que eu quero falar nesse tópico, é sobre a COMPARAÇÃO. Tenta passar longe disso. Nem pense nisso em relação aos outros - como se a vida fosse uma coisa linear (Ensino Médio> Faculdade> Profissão> Felicidade) e tivesse alguém na sua frente ou atrás de você. Não, ela não é. Cada pessoa faz o seu próprio caminho em RITMOS DIFERENTES. Então se comparar com outra pessoa que teve uma criação, formação e experiências totalmente diferentes da sua não tem sentido. A única pessoa no mundo que você tem que realmente se comparar é com a Letícia de ontem, porque hoje você tem que ser melhor que ela e a Letícia de amanhã, porque hoje você tem que ser pior que ela.

- SOBRE HORAS DE ESTUDO, PORQUE NÃO CONTAR ?

A escrita foi desenvolvida há apenas 5000 anos. A primeira revolução científica aconteceu entre os séculos XVI e XVIII. Todo o nosso conhecimento de mundo atual - do séc.XXI - só foram plenamente desenvolvidos há menos de 300 anos. Em uma escala evolutiva, isso é muito pouco tempo. Ou seja, nossos corpos não foram feitos para ficar 5,6 ou 10 horas sentados em uma cadeira. NÃO DEU TEMPO do nosso cérebro desenvolver uma área especializada em leitura e escrita apta a reter informações do jeito que fazemos hoje. Só conseguimos fazer isso devido a Neuroplasticidade, que é basicamente a capacidade do nosso cérebro se transformar e se adaptar para poder utilizar algumas de suas áreas funcionais, para exercer outras atividades que não são aquelas para o qual evolutivamente o cérebro se desenvolveu. Exemplo: ESTUDAR
Como contornar esse problema quanto a retenção de informações à longo prazo ? Usar as técnicas que Suzane vem mostrado para a gente. Ressaltando sempre a revisão espaçada e os exercícios, até você fazer sua “divertida mente” entender que aquela informação é importante. Enfim, sabendo que você não é uma máquina que pode ficar horas processando dados, vamos ao que interessa. Algumas pessoas podem divergir da minha opinião, e convido todo mundo que se interessar comentar sobre o que acham e o que funciona para vocês. Mas eu não recomendo cronometrar tempo de estudo líquido. Simplesmente estude. Precisou fazer uma pausa. Pare, descanse um pouco - com disciplina, sem exageros - e volte com força total. Técnicas como o Pomodoro, são muito úteis para ter controle de tempo, mas são baseadas em pesquisas que demonstram uma média de quanto tempo as pessoas conseguem se concentrar. E você não precisa de uma pesquisa pra dizer o que você pode e não pode fazer. Com o tempo você vai conhecendo seus próprios limites. Eu costumava estudar sempre com um relógio de pulso medir com precisão quantas horas líquidas eu estudava por dia. Com o tempo eu percebi que já tava mais preocupado em completar as horas, do que com o que eu efetivamente aprendi no dia. Quando não conseguia bater 5 horas de estudo em um dia, eu ficava frustrado, prometia compensar no final de semanas com 7 horas e por aí vai. Resultado: frustração e cansaço mental. Eu acredito que o principal problema de cronometrar as horas é que você fica muito apegado com o processo e fica escravo do tempo. E o que é um recurso para ajudar acaba te atrapalhando.

  • MINHA FÓRMULA DE MOTIVAÇÃO

Quando eu me sinto desmotivado, eu faço isso que você tá fazendo. Entro no resumov, leio alguns tópicos. Se eu tiver uma dúvida muito específica e preciso de uma resposta que se adapte a minha realidade, eu crio um tópico aqui. E por aí vai… Outra coisa que eu uso bastante são alguns canais no Youtube de motivação americanos para treinar o inglês e me motivar ao mesmo tempo. Vou deixar o link de alguns que eu gosto muito:

Vocês também acham alguns legendados em Português deles, agora uns brasileiros:

Esses vídeos são bons para os dias que você estiver bem pra baixo. Eles dão uma levantada no astral. Mas também não fique só neles. Eu percebi com o tempo que a melhor motivação é a INTERNA. Aquela que vem de você mesmo. Se pergunte sempre, o por quê de você estar fazendo isso ? Aonde isso vai te levar ? Como você se vê daqui há 10 anos ? A maioria das vezes, as respostas você já sabe. E isso é tudo o que você precisa. Por último, não faça como a maioria dos estudantes: esperar a a motivação pra você começar a estudar. Não. Você começa a estudar para ter motivação para continuar estudando. Mais importante do que a intensidade, é a constância. Foque no seu objetivo, viva pra isso, você é diferente da maioria porque você sabe aonde você quer chegar. Parafraseando Shakespeare - e aquele gato de Alice in Wonderland - “Para quem não sabe aonde quer chegar, qualquer caminho serve.”… Eu acredito em você, e daqui com um tempo você será uma médica. Como diz o lema da comunidade: vamos passar juntos.


#4

Olá Letícia.
Então, os dois colegas ai de cima já falaram tudo haha. Vou te falar o que eu fiz e que me motiva todos os dias a continuar nessa jornada longa e árdua. Em um dos posts da Susane ela deixou um print da página que mostra que ela foi aprovada na USP. Eu peguei essa imagem e coloquei de plano de fundo no meu celular, então todos os dias que eu acordo, ligo o celular e vejo essa imagem e tento imaginar eu no começo do ano seguinte na mesma situação abrindo o site e vendo meu nome escrito lá. Pode parecer algo bem simples, mas me motiva muito.


#5

Muito obrigada a todos vocês pela atenção e as palavras! Elas me ajudaram e vão me ajudar bastante principalmente nos dias cinzentos que, infelizmente, sempre aparecem. Desde o ano passado eu tenho estudado sozinha. Vi progresso, uma vez que o ambiente do cursinho estava me matando justamente devido às comparações e também porque o ambiente em si pra mim parecia hostil. Ia pro cursinho chorando… Estudo por livros a parte de exatas(matemática Iezzy, física clássica e química feltre) e biologia(Amabis) e, as outras sigo pela apostila do poliedro e faço curso de redação particular. O meu foco é a ufu e a uftm, mas também presto as paulistas no final do ano. Não trabalho tenho o dia td para estudar, mas como eu disse tenho estudado poucas horas :confused:


#6

@leticiarodrigues10, obrigada por compartilhar o que você está passando, você não está sozinha.

Adicionaria mais uma coisa:
Acho que é legal deixar a teoria dos livros um pouco de lado e focar 90% do seu tempo na resolução dos exercícios e das provas antigas. Quando errar alguma questão, veja a teoria pontualmente.
Você já sabe boa parte da matéria, agora é só praticar.

  • Uma maneira é fazer os exercícios do livro + provas antigas.
  • Outra ideia é varrer todos os assuntos possíveis de cair com um app de questões. Eu acho que vale a pena achar um app em que você faz questões de vestibular por assunto. Poderia, por exemplo, começar com biologia, fazer todas as questões de ecologia. Depois, ver evolução, e assim sucessivamente, até treinar e revisar tudo. Os apps fazem o controle do que você já estudou, do seu desempenho e do que precisa melhorar.
    Já viu o Studos e o Estuda ENEM? Eles não tem resolução, mas qualquer coisa posta aqui no fórum que a gente se ajuda.

@Jesse_Conde, sensacional seu post, depois que essa época do vestibular passar, crie um Blog ou escreva no Medium.
@LuizHenrique, que lindo você pegar a figura da aprovação, essa técnica é boa! E é uma emoção indescritível, você vai ver.
Amei a conversa, me senti em uma roda de amigos próximos, só faltou a fogueira! :star_struck:


#7

@susaneribeiro você tem razão é melhor fazer exercícios/prova. Comecei a notar que me sinto até menos ansiosa respondendo exercícios do que lendo a teoria… Vou fazer mais isso e estudar o que realmente tenho dificuldade. Muito obrigada pela dica :smile:


#8

Letícia, td bem? Além dessas dicas do pessoal, pode ser muito bom vc marcar uma consulta com um psiquiatra… Eu fiz isso e fez muita diferença na minha vida. As pessoas precisam parar de preconceito quanto a esse profissional… As vezes o estresse do vestibular provoca mudanças bioquímicas no nosso organismo que não conseguimos reverter sozinhos… nesse caso, é necessário o uso de um medicamento para ajudar o seu corpo a voltar ao nivel normal dos neurotransmissores, como serotonina e noradrenalina. Se vc está se sentindo sem energia, falta de concentração e tristeza mesmo sem motivo… a medicação vai te ajudar a se sentir melhor para que vc foque suas energias em estudar. Eu estou tomando medicamento há dois anos e tem me feito muito bem! Recomendo!


#9

Isso é verdade, que bom que você compartilhou esse ponto. Não pode ter preconceito mesmo.

Continuando no que você falou, Aline… Além do stress, acho que um fator que contribui muito para o desequilíbrio é o ambiente do cursinho. Aquela comparação toda hora é ruim demais, na minha época pro ITA eu quase desisti, não pela matéria, mas por falarem tantas vezes que é preciso ser isso ou aquilo, estudar n livros difíceis e ser super gênio (e homem!!) pra passar. E nesse período lembro que tive crises bem ruins também, em que passei dias sem estudar, e também chorava demais.

O que me ajudou foi escrever sobre a experiência.

Enfim, a gente tem que melhorar de alguma forma, indo ao médico, ao psicólogo, conversando com algum amigo, escrevendo…

Obrigada por reabrir a discussão Aline, agora com a solução médica!!


#10

Obrigada por ter compartilhado sua experiência, Aline! É uma ótima sugestão. :slight_smile:


#11

Sim Susanee… Inclusive aqui é um ótimo ambiente para isso… escrever, desabafar, afinal estamos todos no mesmo barco… todo mundo tem que lidar com esse tipo de sentimento em algum ponto dessa trajetória… Inclusive, acho que o melhor presente desta fase é justamente esse aprendizado… aprender a lidar com as emoções, frustações, fracassos e ansiedades… reconhecer os seus erros, corrigir e recomeçar… Isso vamos levar para a vida! Esse tempo de preparo para vestibular está nos treinando para muitas situações que vamos enfrentar durante o curso de medicina, residência etc… mas já estaremos calejados… kkkk… então teremos a cabeça mais fria e pé no chão para levar tudo numa boa… Enfim galera… #TAMOJUNTO :v:️:grinning:


#12

Passando por isso também :neutral_face::neutral_face:


#13

Galera, assisti uma entrevista hoje de um garoto chamado Gustavo Haddad, que passou 3x no ITA e se formou no MIT, e achei excelente e muito inspiradora. Vale demais dar uma conferida e assistir.
Parte 1 : YouTube
Parte 2 : YouTube